side-area-logo

MobiCaxias participa do ciclo de reuniões de apresentação do Projeto Porto Meridional

MobiCaxias participa do ciclo de reuniões de apresentação do Projeto Porto Meridional


Ontem no dia 23/11/2021 o Mobicaxias participou da Reunião para a Apresentação do Projeto Porto Meridional, aonde foram apresentadas diversas pautas como: a importância desse Projeto para a nossa sociedade, a elaboração, a execução e os objetivos do Porto Meridional com o objetivo de buscar mais investidores e demandantes dos serviços do complexo.
O que é o Projeto Porto Meridional?


É o Projeto que visa a instalação de um Porto em Arroio do Sal com terminais de passageiros (inclusive para cruzeiros transatlânticos), áreas destinadas a complexos industriais e acesso via BR-101. Incluem, ainda, a projeção de calados mais profundos do que o registrado em Rio Grande
Como vai ser o Porto:


Utilizando o Modelo onshore, ou seja, na costa. Numa área que compõe a paisagem da praia. Carga será transferida por um duto, esteira que levará a carga entre a beira-mar e o local do Porto. A profundidade onde os navios vão navegar é de 17m. “Permite receber os maiores navios de contêineres. Um canal curto de acesso”, explica.


A escolha do local foi exatamente por causa de um único ponto da profundidade que é mais perto da Costa do oceano Atlântico. O prazo pra conclusão é de dois anos de obra mais um ano de licença ambiental. Batimetria e Geofísica mostraram que não existe rochas acima de 30m de profundidade.


João Acácio adianta que até 2100 o nível do mar vai subir um metro. “A escolha por Arroio do Sal é com base na carta náutica que mostra profundidade ideal em único ponto da costa” revela. Entre outros terminais que estarão em operação, destaque também para um terminal de passageiros.

O presidente da DTA Engenharia (empresa contratada para desenvolver os estudos de engenharia básica e executiva e a obtenção do financiamento – funding – para concretização da obra), João Acácio Gomes de Oliveira Neto, adianta que o processo de licenciamento ambiental no Ibama deverá levar praticamente todo o próximo ano, sendo que a implantação do complexo, a partir do começo dos trabalhos, deve durar cerca de 20 meses.

Oliveira Neto acrescenta que o empreendimento já conta com autorizações da Marinha e da Secretaria Nacional de Portos e Transportes Aquaviários para ir adiante.


Ele considera que o porto em Arroio do Sal se coloca como uma alternativa para capturar as cargas que não vão para Rio Grande e “fogem” do Estado, sendo escoadas por Santa Catarina, Paraná e até mesmo São Paulo.

O porto no Litoral Norte terá capacidade para movimentar em torno de 50 milhões de toneladas anualmente, operando contêineres, granéis líquidos e sólidos e contará até com um terminal de passageiros.


O calado será de 17 metros de profundidade, possibilitando a atracação de navios de maior porte (a título de comparação, o calado do porto de Rio Grande, em seu ponto mais profundo, é de 15 metros).


O investimento para tirar o projeto do porto Meridional do papel é estimado atualmente em cerca de R$ 6 bilhões. O presidente da DTA Engenharia comenta que os recursos podem ser obtidos através de um grupo de investidores, fundo de investimento ou financiamento de um banco de fomento, entre outros mecanismos. “O importante é que o porto seja um negócio viável”, frisa.

Um dos investidores envolvidos com a iniciativa, o empresário Antônio Roso, destaca que um novo porto no Litoral Norte gaúcho, entre os terminais localizados em Rio Grande e Santa Catarina, servirá para diminuir custos logísticos.

https://mobicaxias.com.br/noticias/mobicaxias-participa-do-ciclo-de-reunioes-de-apresentacao-do-projeto-porto-meridional/191

Paulo Menzel

×