side-area-logo

MInfra conclui passagem urbana em Barra do Ribeiro, na BR-116/RS, com participação do Exército Brasileiro

MInfra conclui passagem urbana em Barra do Ribeiro, na BR-116/RS, com participação do Exército Brasileiro

Localizada entre Guaíba e Pelotas, intervenção integra os lotes 1 e 2 da duplicação da rodovia

Passagem urbana em Barra do Ribeiro integra duplicação da BR-116/RS

Com a entrega da obra de arte especial em Barra do Ribeiro, serviços no segmento chegam a 75% de execução – Foto: DNIT/Divulgação

OGoverno Federal, por meio do Ministério da Infraestrutura (MInfra), concluiu mais uma obra prevista na duplicação da BR-116/RS, entre Guaíba e Pelotas. Trata-se de passagem urbana no Km 319 da rodovia federal, em Barra de Ribeiro. A estrutura tem faixa dupla e integra os lotes 1 e 2 da duplicação da BR.

Conforme explica o ministro da Infraestrutura, Marcelo Sampaio, os trabalhos na rodovia são prioridade do Governo Federal, que aplica R$ 1,5 bilhão nas melhorias. “Desde 2019, já concluímos mais de 136 quilômetros de duplicação, de um total de 211 quilômetros, dessa importante estrada federal. A BR-116/RS é fundamental ao transporte de cargas em direção ao Porto do Rio Grande e tem grande fluxo turístico, pois se estende até a fronteira entre o Brasil e o Uruguai”, destaca. “As intervenções garantem, portanto, emprego e renda, ao facilitar o escoamento da produção e o fluxo turístico, e aumentam a segurança e a comodidade para todos os usuários”, completa.

Com a entrega da estrutura em Barra de Ribeiro, as obras entre Guaíba e Pelotas chegam a 75% de execução. Os trabalhos são realizados pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), em parceria com o Exército Brasileiro. Neste segmento – entre os KMs 300,54 e 351,34 –, já estão em operação 26,1 quilômetros de pistas duplicadas, o que representa 51,3% do trecho.

Andamento
As obras de duplicação da BR-116/RS totalizam 136,5 quilômetros de novas pistas já em operação, o que representa 64,6% dos 211,2 quilômetros a serem duplicados em toda a estrada. O lote 4, que compreende segmentos nos municípios de Tapes e Camaquã, com 23,9 quilômetros de extensão, foi o primeiro a ser totalmente duplicado e liberado ao tráfego. Já o lote 3, em Tapes, está 92,6% concluído, faltando a conclusão da conexão com o lote 2 e pequenos serviços.

Em 8 de abril, o ministro Marcelo Sampaio assinou ordem de serviço que garante R$ 172 milhões para retomada das obras remanescentes de duplicação no lote 5. São 25 quilômetros – do Km 397,18 ao 422,30 –, entre os municípios de Camaquã e Cristal. Os trabalhos já foram iniciados e a previsão é que sejam entregues e liberados ao tráfego, ainda neste ano, os primeiros 15 quilômetros, onde serviços de base e sub-base já foram concluídos. As obras vão permitir conexões rodoviárias ainda mais rápidas e seguras para todos os cidadãos da região.

O lote 7, em São Lourenço do Sul, passa por obras no acesso ao município. Os lotes 6, 8 e 9 devem ter a licitação para a conclusão dos serviços remanescentes realizada neste ano. No lote 10, a obra da ponte sobre o rio Comaquã foi licitada na modalidade de Regime Diferenciado de Contratação Integrada (RDCi) e a empresa selecionada desenvolve o projeto para o segmento.

Com informações da Coordenação-Geral de Comunicação Social do DNIT

Assessoria Especial de Comunicação
Ministério da Infraestrutura

Paulo Menzel

×