side-area-logo

Brasil é porto seguro para investidores estrangeiros

Brasil é porto seguro para investidores estrangeiros

Em tempos de instabilidade global.

Pandemia, crise climática e agora o conflito entre Rússia e Ucrânia. O mundo está lidando com várias questões sérias e urgentes ao mesmo tempo. Se, por um lado, há o temor do desconhecido, por outro, há a busca por segurança. Realizar investimentos em tempos de instabilidade, seja ela política ou econômica, é um desafio, mas também uma boa oportunidade para quem souber usá-la corretamente.

Em especial a guerra no leste europeu tem impactado diretamente na tomada de decisão dos investidores. As sanções econômicas à Rússia, o movimento de migração e a alta no valor do barril de petróleo são apenas alguns dos vários aspectos que é necessário considerar antes de fazer uma aposta no mercado internacional.

Nesse contexto, o Brasil aparece sob um aspecto positivo. Em fevereiro deste ano, o Investimento Direto no País (IDP) somou 11,8 bilhões de dólares, segundo o Banco Central (BC), uma alta de 34% em relação ao mesmo período do ano passado. O montante é resultado do retorno de investimentos brasileiros no exterior, dos recursos da participação no capital e dos empréstimos diretos concedidos a filiais de empresas multinacionais no país.

No ranking de investimento estrangeiro, o Brasil já recuperou a posição que ocupava antes da pandemia. Segundo o Índice de Confiança para Investimento Direto Estrangeiro, da consultoria Kearney, o país saiu da 24a. posição para a 22a., e sua nota subiu de 1,64 para 1,71. O resultado positivo em 2022 está diretamente relacionado com a alta do preço das matérias-primas e a flexibilização das medidas de contenção da covid-19.

Segundo análise realizada pela consultoria XP Investimentos, o Brasil figura na lista de 25 países que mais atraem investidores estrangeiros, ao lado de China, Emirados Árabes e Qatar. Como a pesquisa não leva em consideração a situação no leste europeu, os analistas acreditam que o país pode facilmente avançar três posições no ranking por apresentar um contexto positivo para investimento diante do conflito.

Desde o início da guerra entre Rússia e Ucrânia, os investidores estrangeiros estão em busca de oportunidades de investimento mais seguras. O Brasil tem oferecido a estabilidade necessária em tempos de incerteza: boas relações externas, abundância de recursos naturais e terreno fértil para bons negócios.

Apesar do cenário positivo para investimentos, é preciso conhecer os meandros do complexo sistema fiscal e tributário brasileiro para conseguir se firmar no país. Para empresas que queiram estabelecer seus negócios no Brasil, a depender do porte e da área de atuação, é necessário cumprir regulações específicas e buscar os registros necessários junto aos respectivos órgãos para o seu correto funcionamento.

É claro que o Brasil também tem seus desafios como um ano de eleições com grande polarização da população, uma economia que também está sofrendo com os impactos da guerra e da pandemia, agora passando a endemia, e a complexidade tributária. Mas seu grande mercado consumidor, um universo rico em inovação, com novas startups surgindo a todo momento e a confiança nas instituições são atrativos que compensam os riscos.

Por: Eduardo Todeschini, CEO da Pryor Global.

Paulo Menzel

×