side-area-logo

Autoridade Portuária de Paranaguá inicia dragagem de aprofundamento nos Novos Dolfins

Autoridade Portuária de Paranaguá inicia dragagem de aprofundamento nos Novos Dolfins

Do Porto de Paranaguá. Obras permitirão atracação de navios Ro-Ro e devem gerar mais produtividade para as operações portuárias; investimento é de R$ 28 milhões.

A Autoridade Portuária de Paranaguá iniciou, no começo de abril, uma dragagem de aprofundamento nos novos dolfins, próximos à área da TCP — empresa que administra o Terminal de Contêineres de Paranaguá. As obras permitirão a atracação de navios Ro-Ro (Roll-on Roll-off), utilizados para o transporte de cargas rolantes. A previsão é de que as obras sejam concluídas em setembro.

As obras são executadas pelo consórcio de empresas SK, Atlantis e Boskalis, enquanto a TCP é a responsável pelo licenciamento ambiental, a construção das estruturas (já finalizadas) e os monitoramentos ambientais que serão executados durante as atividades de dragagem. O investimento para a execução do serviço ultrapassa R$ 28 milhões.

Atualmente, os navios da classe Ro-Ro atracam nos berços públicos (Berço 215), em frente ao Terminal de Contêineres, ocupando um espaço na janela de atracação de navios conteineiros. —Com as obras de dragagem, os navios Ro-Ro terão um berço dedicado para atracação, gerando mais capacidade e tornando as operações de cargas rolantes mais produtivas em nosso Porto. Isso também irá refletir em maior flexibilidade para a TCP, de modo que o terminal poderá absorver mais navios simultaneamente — explica Thomas Lima, diretor Comercial e Institucional da TCP.

Segurança — As obras de dragagem não devem atrapalhar o dia a dia da comunidade local, uma vez que os equipamentos utilizados na operação de dragagem dos dolfins deverão permanecer na área da poligonal da dragagem quase em tempo integral, não interferindo na circulação de embarcações do canal da Cotinga. Durante todo o período, os equipamentos utilizados e as embarcações serão monitorados para garantir a segurança dos navegadores.

— Em momentos de manobra, poderá ocorrer alguma interferência, porém, respeitando as normas de segurança, essas situações são previsíveis, planejadas e perfeitamente gerenciáveis — explica Thomas Lima. O monitoramento das embarcações será realizado através de imagens de vídeo e observação no local.

Perfil — A TCP é a empresa que administra o Terminal de Contêineres de Paranaguá — o maior terminal de contêineres da América do Sul — e a subsidiária TCP Log, que oferece serviços de integração da cadeia logística para seus clientes.

Responsável pelo maior investimento do setor portuário Brasil na atualidade, onde foram aplicados mais de R$ 550 milhões nas obras de ampliação da capacidade de movimentação do terminal de 1,5 milhão TEUs/ano para 2,5 milhões TEUs/ano, a TCP está se preparando para atender a demanda de mercado brasileiro pelos próximos 30 anos.

Desde março de 2018, a TCP integra o portfólio da China Merchants Port Holding Company (CMPort), o maior e mais competitivo desenvolvedor, investidor e operador de portos públicos da China. Em março de 2020, o portfólio global de portos da CMPort abrangia 6 continentes, 26 países e regiões e 50 portos. Em 2019 a CMPort movimentou 110 milhões de TEUs.

Paulo Menzel

×