side-area-logo

DHL Supply Chain garante distribuição de equipamentos médicos

DHL Supply Chain garante distribuição de equipamentos médicos

E abastecimento de hospitais durante a pandemia. DHL Supply Chain faz o abastecimento de insumos para hospitais que somam mais de 1920 leitos. Equipamentos e itens como respiradores, máscaras, aventais e álcool em gel tiveram picos de demanda, o que exigiu adaptações. DHL Supply Chain atuou também no suporte de três hospitais de campanha.

A pandemia lançou desafios extras a logística do mercado de saúde já tão habituado a rigorosos requerimentos sanitários e de qualidade: picos de demanda, restrições na malha de transporte e instalações emergenciais. Com uma área especializada, a DHL Supply Chain, líder global em armazenagem e distribuição, teve um papel importante para garantir esse fluxo de suprimentos nos últimos meses, abastecendo com insumos hospitais que somam 1920 leitos. A companhia atuou também na logística de três hospitais de campanha, além de distribuir respiradores para UTIs, máscaras, face shields, aventais, álcool em gel e realizar o transporte de doações.

Desafios sem precedentes que contaram com o suporte de centenas de colaboradores dedicados, três Centros de Distribuição (CDs) que somam 70.000 m² de área e uma malha compartilhada de quase 3 mil veículos, maior infraestrutura especializada existente no Brasil e que já recebeu o Prêmio de Qualidade Sindusfarma de Melhor Operador Logístico para a indústria farmacêutica por 13 anos, além de ter uma forte governança na área de qualidade e regulatório, sendo que suas operações detém as Certificações ISO13485 e Certificação de Boas Práticas de Armazenagem e Distribuição emitido pela Anvisa (CBPAD).

— A logística mostrou mais uma vez seu papel vital para a sociedade e para o tratamento dos pacientes. Mesmo na maior pandemia já registrada e com a complexidade do mercado brasileiro, foi possível manter os níveis de serviços acordados e ter a flexibilidade para nos adaptar aos picos de demanda e requerimentos especiais dos clientes. Isso só foi possível com um time experiente, tecnologia para análise de dados e escala para acomodar a flutuação da demanda — afirma Ricardo Guidi, Diretor para Logística Hospitalar e Dispositivos Médicos da DHL Supply Chain.

Na área hospitalar, a DHL Supply Chain realiza a operação do Centro de Distribuição e da logística de abastecimento de produtos médicos e hospitalares, medicamentos, materiais de limpeza, alimentos e demais insumos. Essa demanda chega a representar um terço dos custos operacionais de um hospital. O modelo, ainda pouco difundido no mercado hospitalar brasileiro, propicia uma redução significativa de custos e perdas, maior consistência e agilidade nos processos de requisição e entrega e, principalmente, uma melhor gestão de abastecimento. Com operações 24 horas x 7 dias na semana, este modelo permite entregas emergenciais em até duas horas. Esse trabalho é ainda mais significativo durante a pandemia, pois as instituições buscam reforçar seus estoques frente à crescente demanda de atendimento médico por parte da população.

As operações nesta área abrangem os serviços de recebimento, etiquetagem, armazenagem, controle do inventário (validade e lotes), separação, embalagem e expedição, 24 horas por dia, 365 dias por ano, com a utilização de sistemas de gestão que proporcionam visibilidade das operações em tempo real e uma forte base de dados e informações para apoiar decisões de gestão. A companhia atua também na armazenagem com três CDs dedicados em localizações estratégicas e transporte de cadeia fria com veículos modernos da Polar, empresa do Grupo DHL especializada na movimentação de carga com controle de temperatura. Além disso, a DHL Supply Chain proporciona o tracking das entregas com total visibilidade, digitalização e controle operacional, sem avarias e atendimento do lead time.

— Trata-se de um modelo inovador e que vem trazendo muitos resultados. Além disso, ao retirar o estoque do hospital, libera-se mais espaço para leitos, salas de exames e consultórios médicos. Temos planos de, até final deste ano, chegar ao abastecimento de instituições que somem mais de 3.500 leitos e atuar também na logística interna do hospital, unitarização e dispensação de medicamentos, consignado com RFID e suprimento de equipes cirúrgicas — completa Ricardo Guidi.

A DHL Supply Chain realizou a logística também em três hospitais de campanha administrados pela iniciativa privada (São Paulo e Rio de Janeiro), sendo responsável pelo abastecimento da farmácia central de insumos básicos. — Foi um trabalho muito especial, seja pela emergência da situação, como pelo curto prazo. Colocamos uma equipe dedicada e redobramos nossos esforços de controle e acompanhamento dos níveis de estoque — comenta Guidi.

Já na área de equipamentos médicos, a situação foi um pouco diferente: enquanto algumas categorias de produtos, como kits cirúrgicos, tiveram uma queda na demanda devido à redução de procedimentos eletivos, outras como respiradores, ventiladores, máscaras, aventais, luvas e álcool em gel tiveram seus pedidos até quadruplicados. A DHL Supply Chain aumentou sua área de armazenagem, reforçou equipes e passou a operar 24×7. Um dos principais desafios foi a armazenagem do álcool em gel, que por se tratar de um produto inflamável, requereu a implementação de armazém dedicado exclusivo para este produto.

— Neste momento tão desafiador e inusitado para todos, a DHL Supply Chain reforçou ainda mais o seu propósito de conectar pessoas e melhorar vidas — finalizou Guidi.

Paulo Menzel

×