side-area-logo

Modelo híbrido de concessão torna projeto de rodovias mais atrativo, diz Tarcísio

Modelo híbrido de concessão torna projeto de rodovias mais atrativo, diz Tarcísio

Parte dos valores arrecadados com a outorga será investido no próprio projeto. Formatação é similar à das Rodovias Integradas do Paraná, por exemplo

Ministro fala em entrevista coletiva após leilão da BR-153

Onovo modelo híbrido de concessão de rodovias tornou o projeto mais atraente para investidores. A prova disso, avaliou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, foi o resultado do leilão da BR-153/080/414/TO/GO, vencido pelo consórcio Eco 153 nesta quinta-feira (29).

Nos certames anteriores, o valor global das outorgas ia direto para o Tesouro Nacional. Porém, no modelo híbrido, que tem como principal critério para o leilão a combinação entre o menor valor de tarifa e maior valor de outorga fixa, a quantia arrecadada possui destino certo, ficando atrelado às demandas dos projetos concedidos.

Ministro e equipe após leilão da BR-153

“Quando pensamos em reservar parte do valor arrecadado com as outorgas, nós tornamos o projeto mais atrativo aos investidores. E de fato isso se confirmou. Se tivéssemos jogado a duplicação do trecho da rodovia em Tocantins para o primeiro ciclo do cronograma, talvez tivéssemos um aumento grande de tarifa, causando desconfiança no mercado”, declarou o ministro.

Com os valores vinculados ao projeto – R$ 960 milhões – será possível antecipar melhorias que estavam previstas em outro momento do cronograma, como a duplicação de pista no estado do Tocantins atendendo, inclusive, recomendações dos órgãos de controle que avaliaram a concessão.

IMPACTO – Com o sucesso do leilão desta quinta, fica aberto o caminho para bons resultados nos próximos certames previstos. Está previsto para 8 de julho a concessão da BR-163/230/MT/PA. Com mais R$ 2 bilhões de investimentos, seu projeto impacta diretamente na melhora da logística do agronegócio do Centro-Oeste do Brasil.

Ainda em rodovias, devem ocorrer três importantes concessões ao longo do ano: o da Dutra (BR-116/101/SP/RJ), com R$ 14 bilhões de investimentos projetados, o da BR-381/262/MG/ES, com mais R$ 7,2 bi, e o das Rodovias Integradas do Paraná, com mais R$ 42 bilhões.

Assessoria Especial de Comunicação
Ministério da Infraestrutura

Paulo Menzel

×